Segunda-feira, 29 de Outubro de 2007

Espaço musical do nosso Blog

         

 

 

Novo espaço no nosso Blog

 

Sendo este um espaço criativo, achámos por bem abrir um lugar nele para a música, já o famoso filósofo alemão Niestche dizia que "a vida sem música seria um erro".

 

Espaço este onde iremos destacar todos os meses artistas portugueses que representem o nosso país e que o caracterizam tanto a nivel social, economico e cultural.

 

Começaremos este mês de Novembro com a famosa fadista Mariza que tão bem tem representado Portugal além fronteiras levando com ela a alma dos portugueses, o fado.

 

Estilo Musical do Mês

 

"Fado"

 

O fado é um estilo musical português geralmente cantado por uma só pessoa (fadista) acompanhada por uma guitarra clássica e uma guitarra portuguesa.

A palavra fado vem do latim fatum, ou seja, "destino". De origem obscura, terá surgido provavelmente na primeira metade do século XIX.

 

 A origem do fado parece despontar da imensa popularidade nos séculos XVIII e XIX da Modinha, e da sua síntese popular com outros géneros afins, como o Lundu, no então rico caldo de culturas presentes em Lisboa, tendo como resultado a extraordinária canção urbana conhecida como "fado".

Publicado por cidadecriativadoseixal às 21:38
link do post | Comentar | favorito
Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Dia Mundial da Alimentação

Ora viva!

A cidade do Seixal comemora Dia Mundial da Alimentação com a realização de diversas actividades, noticiadas no Boletim Municipal.

 

 

Terça-Feira, 16 de Outubro de 2007
Publicado por cidadecriativadoseixal às 17:04
link do post | Comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 9 de Outubro de 2007

Arrentela, parte da Cidade do Seixal

É a vez de apresentar a freguesia de Arrentela, que faz também parte da cidade do Seixal. A 20 de Maio de 1993, o Seixal é elevado a cidade, conjuntamente com a junta de freguesia de Arrentela. Este filme foi produzido por João Tavares, aluno pertencente ao nosso grupo de trabalho, que criou este filme com o propósito de ser apresentado no 18º Festival de Bandas Filármonicas, realizado no fim de semana passado na Sociedade Filármonica União Arrentelense.

 

 

 

Um pouco da História

 

 Arrentela está situada na margem sul do estuário do rio Tejo, em local alto e debruçado sobre o esteiro do Judeu. O seu nome provirá eventualmente de “Aventella”, por ser terra varrida por muitos ventos, ou de “Arreentella”, por causa de estar implantada em areais ou ainda, segundo a tradição popular, de “além terra”, desde que foi avistada do rio por pescadores.

 Como outros povoados ribeirinhos da região, a Arrentela desenvolveu-se com base nas potencialidades do rio, quer a nível dos seus recursos naturais, quer das actividades proporcionadas pela localização geográfica, como a construção naval, sobretudo a partir do período dos descobrimentos e expansão marítima portuguesa.
Post realizado por David Costa

 

Publicado por cidadecriativadoseixal às 20:07
link do post | Comentar | favorito
Segunda-feira, 8 de Outubro de 2007

Racismo na Margem Sul

Decidimos aderir às propostas apresentadas para a criação e manutenção do Blogue, começámos a ficar atentos às noticias que dizem respeito à nossa cidade. Nesta Semana decidimos destacar a seguinte notícia avançada pela Agência Lusa no dia 5 de Outubro cerca pelas 21 horas e 30 minutos:

 

"SOS Racismo denuncia terror nas escolas da margem sul do Tejo

 

Dirigentes do SOS Racismo, reunidos na Tocha, Coimbra, denunciaram um clima de terror em escolas e bairros residenciais da margem sul do Tejo, imputando a responsabilidade da situação a grupos de cabeças rapadas (skinheads).

 

"Os skinheads estão a levar o terror às escolas da Margem Sul. Estão a crescer e a recrutar jovens nas secundárias, há miúdos de 14 e 15 anos que andam com t-shirts do Hitler" afirmou hoje Nuno Chulagge, do SOS Racismo, numa acção de formação daquela entidade que decorre até Domingo na Tocha.

Segundo Nuno Chulagge as escolas em causa situam-se no Barreiro, Almada, Seixal, Corroios, Amora e Feijó e a alegada actuação dos cabeças rapadas passa pela atracção dos mais jovens para as causas da extrema-direita.

"Cada vez há mais skinheads. Os putos na escola querem é heróis e olham para eles como olhassem para o Messias. É um discurso idiota [a mensagem da extrema-direita] mas cativa os miúdos" avisou.

Segundo o SOS racismo a Internet e as claques de futebol são outros dos terrenos de recrutamento preferidos dos cabeças rapadas, apontados ainda como responsáveis por "raides" em jipes e carrinhas a bairros da margem sul "na perseguição a pretos, ciganos e brancos traidores da sua causa", frisou.

Sustentando que a violência "vai acabar por ser inevitável e recorrente", Nuno Chulagge alertou para o crescendo de atitude e a falta de receio dos skinheads.

"Isto não chega aos media e às autoridades porque as pessoas têm medo de represálias. E nós [o SOS Racismo] estamos ainda a perguntar o que devemos fazer. Temos de actualizar o trabalho de casa, eles estão assumidamente dentro das escolas e nós não", lamentou.

Nuno Chulagge disse ainda que a extrema-direita em Portugal, possui uma frente institucional [o Partido Nacional Renovador] "e uma milícia na rua".

"Há quem não tenha noção da ameaça que isto é. Estão a passar a informação na Internet e dentro das escolas e ninguém faz nada" sublinhou.

Já José Falcão, dirigente do movimento, defendeu um "papel activo" do SOS Racismo nas escolas, assumindo a necessidade de confrontar a extrema-direita ao nível das ideias e da política.

"É bom que apareçam publicamente a dizer o que são porque quando um deles abre a boca as pessoas vêem o que são", disse.

O confronto político, assumiu José Falcão, tem de ser estendido a quem no entender do SOS Racismo "não combate o problema", apontando as sucessivas políticas de imigração em Portugal.

 

Cerca de meia centena de sócios e simpatizantes do SOS Racismo participa até Domingo, na Tocha, numa acção de formação daquela entidade, que inclui temas como a extrema-direita em Portugal, comunidades ciganas, lei da imigração ou o Plano nacional de Integração dos Imigrantes."

 

Post realizado por Fabio Barroso

 

Publicado por cidadecriativadoseixal às 13:57
link do post | Comentar | favorito
Quarta-feira, 3 de Outubro de 2007

Apresentação

Ora viva!

Somos um grupo constituido por 5 rapazes, que num futuro próximo tencionam formar uma carreira na área da engenharia. Decidimos concorrer ao concurso Cidades Criativas, porque achamos um projecto interessante a desenvolver ao longo deste ano lectivo.

E para começar, uma breve introdução sobre a história da Cidade do Seixal, cidade essa que será o objecto de estudo deste trabalho.

 

Cidade do Seixal, a História

 

Quando se olha para a Baía do Seixal percebe-se logo a razão da sua importância. Tudo aconteceu à volta desta, desde a época romana, comprovada pelos sítios arqueológicos da Quinta de S. João, em Arrentela, à época dos Descobrimentos e até aos nossos dias. O próprio nome Seixal, deve-se provavelmente à grande quantidade de seixos existentes na zona e que eram utilizados como lastro nas embarcações.

Terra de pescadores e de quintas senhoriais, a cidade do Seixal evoluiu ao longo dos tempos, sempre com uma íntima ligação ao rio, pois era através deste que todos os produtos como o peixe, cereais, sal, azeite, vinho, fruta e outras matérias-primas eram escoados para a capital e até exportados.

Já no século XV, na época dos Descobrimentos, foi devido à sua excelente localização geográfica, que se instalaram no Seixal vários estaleiros navais e se iniciou o aproveitamento das marés com a construção  de moinhos de maré. Com esta profunda ligação ao rio, naturalmente existiam diversas profissões como moleiros, calafates, carpinteiros de machado, entre outros.

Quando estamos na Baía e olhamos à volta observa-se um conjunto de unidades fabris, as quais foram o grande impulsionador do desenvolvimento económico da cidade, como a Companhia de Lanifícios da Arrentela e a Fábrica de Cortiça Mundet no Seixal. Estas instalações, a conjunto com as já existentes, transformaram uma cidade relativamente rural numa cidade industrial. A inauguração da Siderurgia Nacional, em 1961, e a ponte sobre o Tejo inaugurada, em 1966, foram os grandes impulsionadores da explosão demográfica e do desenvolvimento económico e social na cidade..

 

 

Pesquisa realizada no livro "História do Concelho do Seixal" de António J. Nabais 2ªedição 1982

 

João Tavares

Sinto-me:
Música: "São os Loucos de Lisboa" Ala dos Namorados
Publicado por cidadecriativadoseixal às 22:18
link do post | Comentar | favorito

.Arquivos

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Links

.Mais sobre nós

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31
blogs SAPO

.subscrever feeds